Como economizar com impressões

5 minutos para ler

Quando o assunto é economia, arranjamos sempre uma maneira de evitar o desperdício de dinheiro. Praticamente todo mundo tem suas manias e sabe como gastar pouco na hora de ir ao mercado ou como fazer sobrar aquele dinheirinho a mais no final do mês. Mas e na hora de imprimir, você também pensa assim?

Quando imprimimos algo, além do papel, também gastamos uma quantia considerável de toner, principalmente se a impressora não estiver configurada corretamente. Um equipamento mal regulado, em conjunto com uma página com bastante caracteres, pode esvaziar seu toner em pouco tempo.

Tudo isso é gasto que você poderia evitar. Para evitar que você tenha esse tipo de prejuízo, preparamos uma série de dicas, seja para economizar toner quanto papel. Portanto prepare-se e mãos à obra!

Escolhendo a fonte certa

Pouca gente leva isso em consideração na hora da impressão, mas saber qual fonte utilizar é uma ótima maneira de evitar o desperdício de toner. Letras menores e finas consomem menos do que aquelas que possuem mais detalhes ou são muito grandes e sobrecarregadas. Para isso, evite o excesso de negritos e caracteres espessos.

Qual a alternativa de letra mais econômica? A análise utilizou a popular Arial como ponto de partida e pôs à prova o consumo de tinta para usuários domésticos (25 folhas por semana) e comerciais (100 folhas semanais).

Para a surpresa de muitos, o estudo revelou que a Century Gothic é a letra que menos gasta na hora de imprimir, consumindo cerca de 30% a menos do que a Arial. Isso resultaria, na prática, uma economia de 20 dólares anuais em uso comum e 80 para consumo empresarial.

Apesar dessa diferença, a primeira possui um espaçamento maior, o que resulta em mais papel gasto e equilibra o consumo no final das contas. Nesse ponto, quem se sai melhor é a também popular Times New Romam, que ficou em terceiro lugar.

Letra sustentável

Uma grande conhecida de quem procura fontes econômicas é a Ecofont. Desenvolvida em 2008 com esse propósito, a letra ocupou a segunda colocação no ranking do Printer.

Ela é uma alternativa às pessoas que precisam utilizar a Arial em seus textos e querem evitar o desperdício de tinta. O mesmo formato de letras é utilizado, com a diferença de possuir pequenos espaços vazios em seu interior.

Apesar de existirem esses buracos, eles são quase imperceptíveis quando postos no papel. Mesmo assim, a impressora detecta-os e não colore aqueles locais. Segundo o site do projeto Econfont, a quantidade de tinta poupada é de até 25%.

E não pense que a leitura vai ser prejudicada ou ficar esteticamente desagradável, já que o efeito obtido é de um “Arial um pouco mais claro”, apesar de um pouco mais espaçado.

Na base da caneta

Outro teste para verificar a quantidade de tinta consumida por vários tipos de letras foi realizado no Reino Unido. Porém, dessa vez, não houve nenhuma análise científica ou financeira, mas artística.

Dois britânicos decidiram rabiscar a palavra “Sample” (exemplo, em inglês) repetidas vezes em uma parede. Em cada uma das vezes foi utilizada uma fonte diferente, e apesar de o resultado não coincidir com o obtido pela Printer, mostrou que caracteres mais simples realmente consomem menos. No caso, a mais econômica foi a Garamond.

Papel também é dinheiro

Além da tinta, também é preciso se lembrar de outro elemento que consome bastante durante a impressão: o papel. Ao contrário do cartucho, muitos usuários tentam ao máximo evitar seu desperdício. Afinal, quem nunca sofreu ao ter de imprimir algo e perceber que não tem folhas?

Neste caso, o maior inimigo da economia é a desatenção. Como cada marca e modelo possui um padrão próprio, cabe ao usuário perceber o padrão que sua impressora utiliza e fazer com que a quantidade de papel jogado fora por erros seja mínima.

Além de imprimir dos dois lados, outra dica importante é cuidar para que a impressora não puxe mais papel do que deveria. Quando isso ocorre, além de interromper a o andamento da impressão, você perde tinta e folha, que corre o risco de ficar presa e ainda danificar o equipamento se não for removida corretamente.

A configuração ideal

Uma das maneiras mais eficientes de poupar na hora de imprimir é criar um perfil personalizado e ajustar o aparelho para que ele economize o máximo possível, seja com tinta ou com papel.

Como cada impressora possui um sistema de configuração diferente, é complicado fazer um passo a passo. Porém, apesar das variações, todas elas possuem alguns pontos em comum que facilitam o processo.

Pense antes de imprimir

Porém, para economizar, o melhor a ser feito é pensar. De nada adianta aplicar todas as dicas aqui ensinadas e imprimir tudo o que encontrar pela frente.

Sempre que for possível, faça operações online – você pode enviar aquele seu convite de aniversário por email, por exemplo – ou utilize folhas que já foram usadas para fazer rascunhos.

Lembre-se de que ao evitar o desperdício, além de economizar dinheiro com papel e tinta, você também ajuda o nosso planeta. Bom para seu bolso, melhor para o mundo!

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-